sexta-feira, 31 de março de 2017

Afinal, de quem é a razão?

            O impasse na cidade de Cubatão entre servidores e Administração Municipal por conta da aprovação da Reforma Administrativa acaba deixando muitos com opiniões divididas: quem estaria com a razão? Os servidores que têm os seus direitos violados por conta de uma reforma aprovada de forma arbitrária ou um Governo Municipal que herdou uma Prefeitura falida? Observando de longe os acontecimentos podemos concluir que ambos têm os seus motivos, porém o desenrolar dos fatos poderia ter sido de outra forma.
          Chamar os representantes dos funcionalismo para dialogar antes de enviar o projeto para ser votado, seria a atitude mais lógica. Como consequência houve a tentativa de um grupo de servidores de impedir o acesso de vereadores e assessores as dependências do Legislativo no dia da votação, ferindo um direito básico a todo cidadão que é o de ir e vir. O uso da Tropa de Choque para retirar os manifestantes da entrada da Câmara que deixou alguns feridos, levou a opinião pública a ficar ao lado dos servidores.
            Quem sabe a suspensão temporária de alguns benefícios até que as pendências da Prefeitura com os funcionários, assim como com a Caixa de Previdência fossem sanadas, não teria sido a melhor solução? Enquanto não chegamos a um consenso quem paga o pato como sempre é a população que fica sem poder usar o serviço público na sua totalidade.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Reforma Administrativa é aprovada e causa revolta nos servidores

     
       
        A sessão da Câmara que votou o projeto de Reforma Administrativa criado pelo Executivo foi antecedida de verdadeiras cenas de barbárie. Os servidores foram impedidos de entrar nas dependências do Legislativo, o que gerou uma grande revolta nos manifestantes, que decidiram bloquear o acesso à Câmara para os vereadores, levando a Direção da Casa a acionar o policiamento. Alguns manifestantes mais exaltados quebraram dois vidros da parte da frente da Câmara, também foram fixados cartazes com dizeres contrários aos vereadores, prefeito e principalmente contra o Projeto de Reforma Administrativa que tira direitos do servidor público.
                    A Tropa de Choque da Polícia Militar foi acionado para garantir o acesso dos vereadores e assessores ao prédio, e lançou bombas de efeito moral na direção dos manifestantes, que se dispersaram rumando para Avenida 9 de Abril em frente a Paróquia Nossa Senhora da Lapa, onde o trânsito foi interrompido temporariamente. Os manifestantes retornaram ao paço e permaneceram nas imediações, enquanto o choque se posicionou à frente da entrada da Câmara, numa verdadeira cena que remetia aos tempos da Ditadura Militar. Dentro do plenário já com a presença da Imprensa, os vereadores aprovaram três projetos que fazem parte da Reforma Administrativa por 13 votos a favor e um contrário, o voto do vereador Ivan Hildebrando. A surpresa ficou por conta dos vereadores que outrora fizeram parte do Governo anterior terem votado em favor do atual governo, inclusive os pertencentes ao PT.

terça-feira, 21 de março de 2017

Servidores em fúria


             Um verdadeiro formigueiro. Impressão que a presença dos servidores municipais de Cubatão, nas galerias da Câmara e do lado de fora deixavam em quem chegava ao local, tamanha era a concentração de pessoas. O motivo da mobilização foi tentar barrar a votação do Projeto de Reforma Administrativa enviada pelo Executivo, que tira benefícios dos servidores. A reforma visa cortar gastos para que haja uma adequação das finanças da Prefeitura, já que devido à crise econômica houve uma queda acentuada na arrecadação, não só de Cubatão, mas no geral envolvendo estados e municípios de todo país. Apesar de toda a mobilização a reforma foi retirada da pauta do dia, e segundo informações do presidente da Câmara, Rodrigo Alemão, através de veículos de comunicação televisivos, os vereadores receberam o projeto na semana passada e ainda estão analisando.

              A presença dos servidores fez com que a sessão seguisse debaixo de vaias e gritos de palavras de ordem para pressionar os 15 vereadores a ficarem ao lado dos manifestantes, quando o projeto for votado. O vereador Ricardo Queixão mereceu uma atenção especial por parte dos servidores, inconformados com alguns comentários do edil em relação à eles, com direito até a cartaz.
Na pauta um projeto de lei da Prefeitura que pedia a prorrogação do auxílio aluguel às famílias necessitadas, que foi aprovado em segunda votação, pois apesar de ter sido uma sessão relâmpago, teve até extraordinária. Os servidores após o término da sessão seguiram em caminhada pela Avenida 9 de Abril até as proximidades do Parque Anilinas retornando pela outra mão de volta ao Paço. Aguardemos a cenas dos próximo capítulos, pois tanto Executivo quanto o Funcionalismo tem os seus motivos para desejarem ter êxito nessa empreitada, enquanto a ameaça de greve continua em aberto.

terça-feira, 14 de março de 2017

Plantão Legislativo

Vereadores se desentendem em sessão relâmpago

         
A sessão da Câmara de Cubatão de hoje foi de tiro curto. Começou aproximadamente 16:30h, segundo populares e terminou por volta das 17:35h . A pauta não estava muito empolgante: uma solicitação de construção de um muro em torno das obras abandonadas do Teatro Municipal, feita pelo vereador Jair do Bar, um projeto de segunda votação sobre os Bancos do vereador Marcinho e outra da Mesa Diretora da Casa, solicitando alterações na Lei Orgânica, que teve uma aprovação tão rápida que quem não estava atento comeu bola.
            O fato que chamou mais atenção até de fora negativa foi o desentendimento entre os vereadores Dr. Anderson e Aguinaldo Araújo, por conta de um comentário do primeiro sobre o Bairro do Vale Verde, onde Araújo reside, que se encontra com vários problemas, assim como os demais bairros da cidade. Dr Anderson disse que após a sua fala o colega teria se dirigido até o local onde estava sentado e perguntado se ele queria afrontá-lo. “
Eu defendo a Vila Nova, Vila São José, Vila dos Pescadores, Vale Verde...pois nós estamos vereadores e se eu tivesse medo de cara feia não estava aqui”, disse o Dr ." Você chegar na Tribuna e falar que não tem medo de cara feia, pra mim você me ameaçou”, responde Araújo. Anderson chegou a rebater, mas não houve maiores problemas em seguida.

Cultura


quarta-feira, 8 de março de 2017

Homenagem


Plantão Legislativo

            Vereador propõe pagamento de salários de COs da Admininstração passada 

A primeira sessão pós-carnaval da Câmara de Cubatão foi caracterizada por bastante tumulto nas galerias. Munícipes empolgados e insatisfeitos com o atual quadro da cidade, principalmente da periferia, que foi surpreendida com as fortes chuvas do dois últimos dias, assim como outras localidades como o Bairro da Vila Nova, interrompiam constantemente a fala dos vereadores com conversas paralelas e gritaria. A oratória e a leitura de alguns vereadores deixaram a desejar, o que é normal para quem está começando o primeiro mandato.

Abuso de menor e pagamentos atrasados de COs

            A apresentação dos trabalhos dos vereadores tiveram como destaque um episódio muito triste informado pela edil Érika Verçosa, um caso de abuso de menor durante o carnaval. A denúncia também deixou clara a precariedade que se encontra o serviço público que não possuía nem transporte para atender o caso, segundo Verçosa. O vereador Toninho Vieira destacou o problema da falta de espaço na UBS da Vila Nova, para onde foi transferido o Centro de Referência da Mulher. Vieira considerou o espaço insuficiente e inadequado pelo Centro atender também casos de abuso e estarem se misturando com os usuários da UBS. O fato inusitado da ficou por conta da solicitação do vereador Ivan Hildebrando, sugerindo que a atual Administração pague os salários atrasados de alguns COs do Governo Márcia Rosa. Quem sabe se deixarem eles por último, atrás dos funcionários do Hospital, do funcionalismo...

Postagem em destaque

Lançamento: