terça-feira, 21 de junho de 2016

CULTURA:


PT X PSDB

         
   A questão levantada pelo vereador Dinho e duramente rebatida pelo também vereador Ademário na última sessão da Câmara, sobre o prejuízo que a disputa política entre PT e PSDB tem dado à cidade de Cubatão é de uma notoriedade indiscutível. Fato que tenho comentado há tempos, bem antes dessa discussão no Legislativo. O chamado Fla-Flu político. Aliás essa disputa prejudicou não só Cubatão, mas o próprio país, pois o lulopetismo baseou-se numa das suas campanhas para a Presidência, a comparação entre os governos Lula e FHC. Hoje observamos o preço que a nação paga depois de passada a euforia das conquistas sociais, diante de um fracasso econômico seguido de um alto índice de desemprego.
             Ademário toma as dores do seu partido nesse momento, mas tempos atrás por causa dessa mesma legenda, da qual faziam parte o ex-prefeito Clermont e o ex-vereador Luizinho, Cubatão sofreu uma das maiores derrotas políticas na sua história: a perda do direito de continuar administrando e usufruindo dos monumentos do Caminho do Mar, que na sua maioria se localizam em terras cubatenses. O revés político ocorreu num período que o governo do estado era administrado pelo PSDB, mesmo partido do ex-vereador e do ex-prefeito.
            Com a chegada do PT ao Executivo cubatense, as brigas continuaram, como foi o caso do Bairro da Água Fria e o Projeto Serra do Mar, que beneficiou várias pessoas, porém houve um grande impasse entre governos estadual e municipal até chegarem a um denominador comum. Não querendo entrar no mérito de quem estava certo ou errado nesses embates, a verdade é que a cidade tem sido prejudicada.
            Outro fato que não poderia deixar passar batido, foram as emendas aprovadas por deputados psdbistas para Cubatão, como foi o caso do então deputado Paulo Alexandre, hoje prefeito de Santos, para a construção da UBS da Vila Nova no primeiro mandato da prefeita Márcia Rosa, verba que foi perdida aparentemente de forma proposital, por ter sido perdido o prazo. Recentemente o deputado Bruno Covas também aprovou emenda destinando verba para Cubatão, porém a Prefeitura já se encontrava negativada e impossibilitada de receber tal verba.

        Portanto são fatos suficientes para chegarmos a conclusão que a disputa PT X PSDB prejudicou sim a cidade de Cubatão, isso sem falar na atual dificuldade em conseguir verbas para o Hospital Municipal.

terça-feira, 14 de junho de 2016

WM vive!

     
            A condenação e os boatos em relação ao vereador Wagner Moura juntamente com a crise na Saúde foram os principais fatos na política cubatense na última semana. O fato que gerou tais boatos foi a sua derrota no processo movido pelo seu ex-partido, o PT, para reaver a cadeira de vereador, que segundo reza a legislação pertence ao partido. Adversários se aproveitaram para propagar a mentira que WM não pode concorrer a Prefeitura na próxima eleição. Pode sim, pois perdeu o cargo, mas não ficou inelegível.
        O pré-candidato usou do mesmo expediente dos seus adversários que lançaram panfletos para induzir os eleitores a não votar no vereador nas próximas eleições devido a perda do seu mandato, e fez também uma ampla divulgação na mídia e redes sociais em sua defesa. Aos que ainda duvidam é só prestar atenção na declaração do atual vice-prefeito da cidade, Donizete Tavares, durante uma conversa informal com a minha pessoa próximo a Panificadora Vila Paulista: “ o que falam do Wagner é mentira, ele não está inelegível, se eu for cassado também não fico inelegível”.

        A candidatura de Wagner Moura está bastante viva, e pelo jeito tá incomodando muita gente, afinal não são 13 pré-candidatos? WM vive e a sua candidatura ao Piaçaguera também.

sábado, 11 de junho de 2016

DESEJO A TODOS UM:


CHARGE


Brasília é aqui!

       
  A perda da cadeira no Legislativo cubatense pelo vereador e pré-candidato do PMDB ao Executivo, Wagner Moura foi como acertar sozinha na Mega Sena para a prefeita Márcia Rosa. O motivo maior dessa evidente euforia, além do revés ao hoje adversário político, foi a substituição de WM pelo pré-candidato do PT, Fábio Inácio. A mudança altera o número de votos a favor de Rosa no processo que pede a cassação do seu mandato por improbidade administrativa na Câmara, o que lhe garante a permanência no cargo caso os votos sejam mantidos.
           A disputa entre WM e MR nos faz lembrar outro entrevero envolvendo duas outras figuras políticas, só que na esfera federal: Dilma Rousseff e Eduardo Cunha. Coincidentemente pertencentes aos mesmos partidos de WM e MR, porém o resultado do processo movido pela Câmara contra a prefeita se encaminha para um desfecho favorável a ela, o que não ocorreu com a presidenta, cujo afastamento também se assemelha com o que aconteceu com a prefeita.
               Cunha e Moura guardadas as devidas proporções parece que terão destinos parecidos, fato já concretizado no caso do vereador, mas que para o presidente afastado da Câmara dos deputados aparenta ser uma questão de tempo, mesmo com toda a sua influência. Outra semelhança entre os quatro são as funções que ocupam, as petistas com cargos no Executivo e os pemedebistas no Legislativo, além dos gêneros.

              O Moura brigou com a Rosa e essa disputa ainda irá dar muito pano pra manga e promete se estender até as eleições, e enquanto ela não chega a cidade de Cubatão vive o seu momento Brasília, com todos os seus imprevistos e desmandos.


Postagem em destaque

Lançamento: