domingo, 30 de outubro de 2016

Estabilizar para crescer

          As expectativas das pessoas ligadas à Cubatão quanto ao futuro governo municipal são das mais diversas. Refiro-me a pessoas ligadas e não tão somente moradores pelo fato da cidade ter uma característica regional devido ao seu Polo Industrial. Possuindo um grande fluxo migratório e vários trabalhadores que residem nas cidades da região e até da capital. A principal expectativa é saber o tamanho do rombo deixado pela pior administração da história da cidade, expressão que ironicamente a atual prefeita usava constantemente nos seus tempos de vereança, ao se referir ao seu antecessor, mas sem sombra de dúvidas a sua administração faz jus ao rótulo sem o menor questionamento.
          Outra expectativa é quanto a recuperação da credibilidade do governo junto ao funcionalismo que foi humilhado e enganado pela atual administração, a ponto de ficarem sem uma Assistência Médica eficiente e até não ter a certeza de receber o salário na data prevista, principalmente os aposentados. A Saúde que é um dos principais pilares de qualquer administração virou o calcanhar de aquiles do governo Márcia Rosa, a ponto do Hospital Público da cidade ter o seu funcionamento comprometido por atraso no pagamento de funcionários entre outros fatores.
          Cubatão precisa urgentemente establilizar as suas finanças para poder voltar a crescer, pois uma cidade que tinha tudo para ser autosuficiente, passou os últimos tempos na dependência de verbas oriundas de emendas parlamentares. Dependência que veio acompanhada de compromissos políticos pagos à custa da insatisfação do funcionalismo e do descaso com a sociedade local. O cenário todos sabem ser bastante desanimador, com crescimento populacional e diminuição dos postos de trabalho, por conta da crise em todo país e que atinge diretamente o Polo Industrial.
           O novo governo terá a missão num primeiro momento de colocar a casa em ordem, o que pode levar um bom tempo, porém ou se começa do zero ou pode abrir espaço para novos oportunistas políticos.

Campanha:


sábado, 1 de outubro de 2016

Saúde:


O mês de Outubro ficou  Rosa para alertar à prevenção
Para que o câncer de mama não venha causar aflição

O exame de mamografia é peça fundamental
Procure um Posto de Saúde e faça a avaliação

O mês de Outubro ficou Rosa para à saúde proclamar
Se todas fizerem a sua parte, o câncer não irá prosperar


Cultura:


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Abstenções e absolvições

       
  A absolvição da prefeita de Cubatão e o seu vice já era esperada, pois todos sabiam que não havia votos suficientes a favor da cassação, depois da chegada de Fábio Inácio para ocupar a cadeira de Wagner Moura no Legislativo. Só nos resta refletir com esse episódio brasilesco é a postura dos vereadores do PDT, partido da base de apoio do atual governo. A abstenção mesmo sendo um direito previsto no regimento interno da Câmara, na minha opinião foi um ato de covardia política, por tratar-se de uma situação de extrema importância à sociedade cubatense, ou alguém acredita que o governo petista representado pela prefeita Márcia Rosa, não tem culpa nenhuma na situação caótica que a cidade atravessa?
              A má gestão das finanças públicas é flagrante, a ponto de ficarmos sem entender o por quê do partido ter lançado candidato à sucessão do pior governo da história de Cubatão. O PDT local ao negar-se a votar a favor de questões que resultariam na cassação da prefeita e seu vice, mostraram à opinião pública que manter os cargos que possuem na atual administração é mais importante que fazer justiça a uma administração que faliu a cidade. A exemplo da rede pública de Saúde entre outros males, pois com certeza os eleitores do partido não devem utilizá-la, assim como não devem fazer uso dos serviços públicos, onde funcionários são menosprezados em relação aos seus direitos. Os vereadores Aguinaldo Araújo e Ricardo Queixão deram uma clara demostração do que significa os fins justificarem os meios.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

PARABÉNS:


Ascensão e queda em Brasília

              A queda da presidente Dilma Rousseff e a posse do vice Michel Temer cria um mixto de esperança na área econômica e turbulência no campo político brasileiro. O lado petista insiste na tese de golpe de estado e a oposição capitaneada por PMDB e PSDB conseguem emplacar a acusação de crime de responsabilidade da presidente. As várias falas dos senadores a favor do impeachment deram embasamento para parte da opinião pública acreditar que o impeachment é legítimo. Porém o envolvimento de pemedebistas na operação Lava-Jato e a não perda dos direitos da presidente impedida, deixou um suspense no ar, ficando em aberto a possibilidade de golpe. A essa altura do campeonato nem os próprios petistas acreditam que a presidente impedida retome o poder, por isso muitos apostam em novas eleições antes mesmo de 2018. Brasília – ascensão e queda.

CULTURA:


sábado, 27 de agosto de 2016

Morre Miúdo a voz da Vila Esperança


         


José Severino da Silva o popular Miúdo do Bairro da Vila Esperança faleceu nessa madrugada de complicações causadas por um efizema pulmonar. Miúdo ficou conhecido na cidade por sua participação ativa na comunidade da Vila Esperança. Atuou como radialista à frente do programa Voz da Comunidade na Rádio Nova Esperança que ajudou a fundar. Também teve uma atuação destacada como líder comunitário no bairro onde residia há 50 anos.Outra característica sua era o dom de falar de improviso nas suas inúmeras participações em debate abertos ao público.  O corpo será sepultado nesse domingo às 10 h no cemitério municipal.


sábado, 23 de julho de 2016

"VINDE A MIM"

             


        Jovens montam painel humano no semáforo em frente ao Banco do Brasil, com a frase "VINDE A MIM",  para convidar as pessoas para estarem hoje (23/07) às 18:30 h no Centro Esportivo Romerão (antigo Castelão), para o Congreso da UADEMIS - União dos Adolescentes da Igreja Assembléia de Deus - Ministério de Santos.

domingo, 17 de julho de 2016

Santos não - Cubatão sim

   
O Diretório Santista do Partido dos Trabalhadores (PT) tomou uma decisão que só demonstra o grau de perda de popularidade da legenda na região, a de não lançar candidato para prefeito. Irá apoiar a candidata do PC do B, a jovem Carina Vitral. Reflexo também da boa administração do seu rival PSDB em Santos. Atitude que deveria ser seguida pelo Diretório Cubatense, já que reconhecidamente a atual administração é a pior da história de Cubatão, e com sobras.

Observando o candidato do partido da estrela vermelha em sua campanha é difícil não se perguntar: por quê o PT Cubatense está lançando candidato? Claro que uma Administração Municipal não é só feita de coisas negativas, mas o povo cubatense não merece mais 4 anos de um Executivo com tantas evidências de má gestão e corrupção. Santos não – Cubatão não – PT não.

domingo, 10 de julho de 2016

Racismo – um problema da humanidade

     
 Conflitos oriundos de atos racistas de policiais norte-americanos terminaram com a morte de um civil negro e cinco policiais brancos, além do atirador que também era negro. A abordagem de forma truculenta aos cidadãos negros pelos policiais nas ruas dos Estados Unidos, ajuda a fortalecer a tese de extermínio étnico, que vem ocorrendo desde os tempos em que a Klu Klux Klan agia contra colonos negros.
        As conquistas sociais da comunidade negra norte-americana ao longo dos anos são indiscutíveis, chegando ao ápice de eleger um negro como presidente da nação mais poderosa do mundo, porém as divisões étnicas, sociais e econômicas de uma sociedade plural como a norte-americana deixaram feridas abertas que o tempo não consegue cicatrizar. O racismo é um problema individual, uma opção comportamental com consequências para toda a humanidade.

terça-feira, 21 de junho de 2016

CULTURA:


PT X PSDB

         
   A questão levantada pelo vereador Dinho e duramente rebatida pelo também vereador Ademário na última sessão da Câmara, sobre o prejuízo que a disputa política entre PT e PSDB tem dado à cidade de Cubatão é de uma notoriedade indiscutível. Fato que tenho comentado há tempos, bem antes dessa discussão no Legislativo. O chamado Fla-Flu político. Aliás essa disputa prejudicou não só Cubatão, mas o próprio país, pois o lulopetismo baseou-se numa das suas campanhas para a Presidência, a comparação entre os governos Lula e FHC. Hoje observamos o preço que a nação paga depois de passada a euforia das conquistas sociais, diante de um fracasso econômico seguido de um alto índice de desemprego.
             Ademário toma as dores do seu partido nesse momento, mas tempos atrás por causa dessa mesma legenda, da qual faziam parte o ex-prefeito Clermont e o ex-vereador Luizinho, Cubatão sofreu uma das maiores derrotas políticas na sua história: a perda do direito de continuar administrando e usufruindo dos monumentos do Caminho do Mar, que na sua maioria se localizam em terras cubatenses. O revés político ocorreu num período que o governo do estado era administrado pelo PSDB, mesmo partido do ex-vereador e do ex-prefeito.
            Com a chegada do PT ao Executivo cubatense, as brigas continuaram, como foi o caso do Bairro da Água Fria e o Projeto Serra do Mar, que beneficiou várias pessoas, porém houve um grande impasse entre governos estadual e municipal até chegarem a um denominador comum. Não querendo entrar no mérito de quem estava certo ou errado nesses embates, a verdade é que a cidade tem sido prejudicada.
            Outro fato que não poderia deixar passar batido, foram as emendas aprovadas por deputados psdbistas para Cubatão, como foi o caso do então deputado Paulo Alexandre, hoje prefeito de Santos, para a construção da UBS da Vila Nova no primeiro mandato da prefeita Márcia Rosa, verba que foi perdida aparentemente de forma proposital, por ter sido perdido o prazo. Recentemente o deputado Bruno Covas também aprovou emenda destinando verba para Cubatão, porém a Prefeitura já se encontrava negativada e impossibilitada de receber tal verba.

        Portanto são fatos suficientes para chegarmos a conclusão que a disputa PT X PSDB prejudicou sim a cidade de Cubatão, isso sem falar na atual dificuldade em conseguir verbas para o Hospital Municipal.

terça-feira, 14 de junho de 2016

WM vive!

     
            A condenação e os boatos em relação ao vereador Wagner Moura juntamente com a crise na Saúde foram os principais fatos na política cubatense na última semana. O fato que gerou tais boatos foi a sua derrota no processo movido pelo seu ex-partido, o PT, para reaver a cadeira de vereador, que segundo reza a legislação pertence ao partido. Adversários se aproveitaram para propagar a mentira que WM não pode concorrer a Prefeitura na próxima eleição. Pode sim, pois perdeu o cargo, mas não ficou inelegível.
        O pré-candidato usou do mesmo expediente dos seus adversários que lançaram panfletos para induzir os eleitores a não votar no vereador nas próximas eleições devido a perda do seu mandato, e fez também uma ampla divulgação na mídia e redes sociais em sua defesa. Aos que ainda duvidam é só prestar atenção na declaração do atual vice-prefeito da cidade, Donizete Tavares, durante uma conversa informal com a minha pessoa próximo a Panificadora Vila Paulista: “ o que falam do Wagner é mentira, ele não está inelegível, se eu for cassado também não fico inelegível”.

        A candidatura de Wagner Moura está bastante viva, e pelo jeito tá incomodando muita gente, afinal não são 13 pré-candidatos? WM vive e a sua candidatura ao Piaçaguera também.

sábado, 11 de junho de 2016

DESEJO A TODOS UM:


CHARGE


Brasília é aqui!

       
  A perda da cadeira no Legislativo cubatense pelo vereador e pré-candidato do PMDB ao Executivo, Wagner Moura foi como acertar sozinha na Mega Sena para a prefeita Márcia Rosa. O motivo maior dessa evidente euforia, além do revés ao hoje adversário político, foi a substituição de WM pelo pré-candidato do PT, Fábio Inácio. A mudança altera o número de votos a favor de Rosa no processo que pede a cassação do seu mandato por improbidade administrativa na Câmara, o que lhe garante a permanência no cargo caso os votos sejam mantidos.
           A disputa entre WM e MR nos faz lembrar outro entrevero envolvendo duas outras figuras políticas, só que na esfera federal: Dilma Rousseff e Eduardo Cunha. Coincidentemente pertencentes aos mesmos partidos de WM e MR, porém o resultado do processo movido pela Câmara contra a prefeita se encaminha para um desfecho favorável a ela, o que não ocorreu com a presidenta, cujo afastamento também se assemelha com o que aconteceu com a prefeita.
               Cunha e Moura guardadas as devidas proporções parece que terão destinos parecidos, fato já concretizado no caso do vereador, mas que para o presidente afastado da Câmara dos deputados aparenta ser uma questão de tempo, mesmo com toda a sua influência. Outra semelhança entre os quatro são as funções que ocupam, as petistas com cargos no Executivo e os pemedebistas no Legislativo, além dos gêneros.

              O Moura brigou com a Rosa e essa disputa ainda irá dar muito pano pra manga e promete se estender até as eleições, e enquanto ela não chega a cidade de Cubatão vive o seu momento Brasília, com todos os seus imprevistos e desmandos.


sexta-feira, 13 de maio de 2016

Impeachment: do que temer e o que comemorar?

      
       Dilma foi afastada da Presidência, merecidamente diga-se de passagem, agora é rezar para quê o governo provisório consiga dar soluções rápidas às crises econômica e política que se instaurou no país. O PT ironicamente vira oposição de uma parte do governo que ajudou a eleger. O PMDB que passa longe de ser uma Casa de Monges, teve sua utilidade quando ajudou Lula e Dilma a alcançar o poder, agora nas atuais condições, não serve para governar o país, segundo os simpatizantes da presidente afastada.
               Incoerência e hipocrisia de um partido em crise, que demostrou estar mais preocupado em vencer eleições, do que administrar bem, haja vista a Administração Municipal da nossa querida Cubatão. É cedo para comemorar o afastamento da presidenta, mas sim temer o pouco tempo que há para colocar a casa em ordem. Corre-se o risco do retorno de Dilma ao poder caso o impeachment não se concretize.

sábado, 7 de maio de 2016

P.A.T. no Romeirão


             
            A enorme fila que tem se formado no Posto de Assistência ao Trabalhador – P.A.T, da cidade tem chamado a atenção. Pessoas em busca de uma oportunidade de emprego chegam a madrugar no local e acabam enfrentando o frio dos últimos dias e passando horas em pé até serem atendidos. A alternativa da Administração Municipal para levar um pouco de conforto aos desempregados da nossa cidade seria a utilização do Centro Esportivo Romeirão (Castelão) como local provisório para o P.A.T. Ideia que talvez não seja bem acolhida pelos esportistas da cidade que utilizam o lugar, porém eu acredito que a quantidade de cidadãos beneficiados será bem maior, então dos males o menor.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

O Moura e a Rosa

     
        A prefeita Márcia Rosa e o vereador Wagner Moura, dois políticos nativos da cidade, sempre possuíram características distintas: ela com uma excelente oratória e ele com um perfil mais mental. Passados anos da inserção de ambos na vida política, chegamos a conclusão que ela jamais deveria ter sido prefeita e Moura foi um vereador mediano. Rosa com a sua fidelidade ao partido e ele com total desapego às legendas, tanto é que já foi do PSB, PT e agora PMDB (se a memória não me falha).            

           O estilo incendiário da atual prefeita contrasta com o ar de bom moço do neopmdbista, que ocupou as Secretarias de Obras e Habitação na atual administração, além de presidir a Câmara quando ainda era filiado ao Partido dos Trabalhadores. O êxito da política Márcia Rosa como vereadora também contrasta com a sua atuação como prefeita.A constante troca no seu Secretariado seria uma das principais causas da pouca evolução da sua Administração, seguida pela má gestão das finanças da cidade o que acabaria refletindo no seu governo como um todo. Outro fator que caracterizou a administração da petista é a sua insistência em enfrentar o Governo estadual ocupado pelo PSDB, num eterno Fla-Flu político, colaborando com o enfraquecimento do seu Governo, embora em algumas situações estivesse coberta de razão. O acúmulo de erros culminou com o seu afastamento por um curto período, juntamente com o seu vice, o que proporciou ao então presidente da Câmara, Wagner Moura, ocupar a cadeira de prefeito.
              Moura no Executivo troca alguns secretários e se aproxima do Governo estadual acalmando momentâneamente os ânimos do funcionalismo público, revoltado com promessas não cumpridas. Passado o afastamento da prefeita e seu vice retornam ao Paço Piaçaguera e ligam o sinal de alerta, e entram em guerra com o vereador, que era apontado nos bastidores como um possível nome para suceder a chefe do Executivo pelo PT.
               Os fatos narrados são de domínio público e tiveram como desdobramento uma das confusões ocorridas na sessão da Câmara, onde algumas pessoas apontadas como membros da atual administração ofenderam Moura, deixando cair por terra as suspeitas que o atual pmdbista seria um candidato da Administração disfarçado. Moura foi um dos responsáveis pela primeira eleição de Márcia Rosa, tanto financeiramente como na aquisição de votos, com a ajuda do seu Grupo Político formado na sua maioria por empresários da cidade, o G-40. O Moura brigou com a Rosa e esse embate promete um desfecho inesperado.

domingo, 27 de março de 2016

Poesia:

Doce veneno


Chocolate!? Por quê você me atenta!?

Sei que a minha vida não é benta,

mas por te querer, com a minha saúde você arrebenta.


Chocolate!? Fique longe de mim!?

Sei que te desejo. Você é tão gostoso quanto dar um beijo.


Chocolate. Fiquemos só na amizade.

Pois a minha paixão por você...agora virou saudade.



(Roberto Faccoro)

sexta-feira, 25 de março de 2016

Luto no Futebol Mundial


Hendrik Johannes "Johan" Cruyff (Amsterdã25 de abrilde 1947 – Barcelona24 de março de 2016) foi umtreinador e futebolista dos Países Baixos, apontado como o melhor futebolista neerlandês de todos os tempos.[7]
Considerado um jogador revolucionário, tático, ofensivo, coletivo, vistoso e eficiente, inspirou muitos jogadores e treinadores a partir de suas extraordinárias atuações noAjax e, principalmente, na Seleção dos Países Baixos, durante a Copa do Mundo de 1974. As suas atuações no mundial foram suas únicas referências para grande parte das pessoas que o conhecem;[8] antes da cobertura ao vivo dos campeonatos estrangeiros pela TV, apenas as Copas eram vistas mundialmente de maneira especial.[9] Cruyff encantou na Copa, mesmo com exibições consideradas abaixo das que tinha nos campeonatos europeus.[8]
Se, atualmente, há no futebol jogadores polivalentes que podem atuar sem posição fixa no campo, sem prejuízo de suas atuações individuais, muito se deve a este genial craque e não menos a seu treinador no AjaxBarcelona e na Seleção NeerlandesaRinus Michels. E ainda que transcorridos praticamente quarenta anos após a Copa do Mundo de 1974, os Países Baixos, Michels e Cruijff sintetizam a última revolução tática na história do futebol e serão para sempre lembrados como sinônimos do chamadofutebol total, o qual os jogadores de linha se sentiam-se à vontade ao desempenhar todas as posições.
Visto como um pensador do futebol, costumava enfatizar a rapidez de pensamento tanto quanto a rapidez do corpo: sua característica velocidade era descrita pelo próprio como uma questão de saber a hora certa de começar a correr.[8]Cruyff foi escolhido pelo IFFHS o maior jogador europeu doséculo XX, e o segundo maior do mundo, atrás somente dePelé.[10] Para o colunista Maurício Barros, da ESPN Brasil, Cruyff é o maior da história do futebol na soma jogador-treinador, mesmo sem ter ganho nenhuma Copa do Mundo[11] .

Seu sobrenome é originalmente grafado, na língua neerlandesa, como "Cruijff", sendo mais popularmente escrito como "Cruyff" no exterior.[2] [8]

Fonte:WIKIPÉDIA.



CULTURA:


Postagem em destaque

Lançamento: