quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Cartão Servidor – A bolha do comércio cubatense

              O fechamento de 48 lojas no Comércio cubatense, segundo o que foi dito em plenário pelo vereador Tucla, mostra um cenário de final de festa, onde os mais pessimistas chegam a imaginar o pior. Só que há uns dois ou três anos atrás o cenário era bem diferente, com vários estabelecimentos se instalando na nossa cidade e deixando transparecer uma imagem de prosperidade. O que não pode ser esquecido é que o carro-chefe que atraiu várias lojas à cidade foi o cartão servidor. Lembram? O seu lançamento foi feito através de uma ampla divulgação na mídia regional o que colaborou para vinda de comércios com franquias até muito conhecidas.
             Só que com o passar do tempo a demora no repasse dos valores e até o cancelamento do cartão, passou a ser o pesadelo dos comerciantes e servidores municipais, por conta do atraso nos depósitos dos créditos ou pelo atraso no pagamento aos comerciantes. Consequentemente veio a crise financeira que abala o país até hoje, somado aos altos valores cobrados no aluguel dos imóveis, esses ingredientes negativos não chegam a ser surpresa para o hoje atual cenário de terra arrasada do comércio cubatense.

            O insucesso do cartão servidor, que teoricamente foi criado para salvar o comércio cubatense e complementar o salário dos servidores, virou uma verdadeira bolha financeira. O que levou os comerciantes a fecharem os seus estabelecimentos, muitos ainda com dinheiro à receber sendo agravado pelo alto índice do desemprego na região.  

sábado, 29 de julho de 2017

Literalmente...

       
      A frase “Vivemos tempos difíceis” é o clichê mais usado atualmente. A inversão de valores é a moda vigente. As ações terroristas tomaram o lugar do Paz e Amor, ou se preferir: Faça amor, não faça guerra. Na Política brasileira a exposição do seu modus operandi na suas mais altas esferas, através das operações da Lava-Jato, deixou  à população mais descrente do futuro. A coisa chegou num ponto que camelôs tem vendido um produto de pelúcia diferente. Marronzinho, sorriso estampado, mas cujo o formato não nos deixa dúvidas, principalmente quem é conhecedor de emotions e figurinhas ilustrativas. Pasmem. O tal objeto nada mais é do quê uma merda de pelúcia, literalmente. Tenho a certeza de uma coisa: a capacidade de fazer piada com tudo dos brasileiros continua em alta.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Por 6 votos a 3 Conselho de Cultura concorda em anexar prédio do Teatro ao Hospital

             
O Conselho Municipal de Políticas Culturais – CMPC elegeu na noite de hoje por aclamação os componentes da sua Mesa-Diretora que ficou composta da seguinte forma: Presidente – Thiago Cavalcante Silva Garcia (Livro, Leitura e Literatura), Vice-presidente – Milton Rogério Vito (Música) e Secretária-Geral – Morgana Souza Monteiro (Secretaria Municipal de Comunicação Social) para o exercício 2017-2018. A primeira ação da Mesa-Diretora foi colocar em votação o polêmico projeto da Administração Municipal de anexar as obra inacabada do Teatro Municipal ao Hospital Modelo, votação que terminou com seis votos favoráveis e três contrários. Registrou-se também uma abstenção por parte do presidente, que só votaria em caso de empate e a ausência de quatro conselheiros. Segundo o regimento interno do Conselho somente os membros titulares tem direito a voto, na ausência do mesmo o suplente assume. A votação ocorreu na Casa da Memória que fica na parte antiga do Parque Anilinas, onde também se encontra a Secretaria de Cultura.

Postagem em destaque

Lançamento: